Newsletter

a aa
12 04

Saiba qual é a tosa correta para seu peludo e porquê ela é tão importante

Publicado em 12 de Apr de 2017 por Victoria Bassi Comentar

A tosa não é apenas um procedimento estético, ela também proporciona bem-estar ao mascote

  • PELO CURTO

    Cães de pelagem lisa e curta trocam os fios a cada sete dias, o que faz com que eles soltem muito pelo. “Esse tipo de pelo deve ser raspado poucas vezes ao ano, porque esse processo natural de troca pode dar foliculite, ou seja, a pelagem começa a encravar na pele”, ressalta a especialista. Aposte na tosa higiênica mensal, espace as tosas mais efetivas pelo ano e faça a escovação semanal com uma luva de borracha.

  • PELO MÉDIO

    Os cachorros com essa característica são incrivelmente adaptáveis a qualquer corte. “Isso porque sua pelagem cresce em média um centímetro ao mês”, explica Letícia Ronska, groomer da Pet Society. Portanto, eles necessitam de tosa mais frequente, a cada dois ou três meses.

  • PELO LONGO

    Cães com pelos longos e lisos precisam de tosa frequente, pois os pelos dão nós tão grandes que só somem no corte. Sem falar que, como não possuem subpelo para o equilíbrio térmico, sentem muito calor. Para esses cachorros qualquer tipo de tosa funciona (como a higiênica, a aparação dos pelos na tesoura, a tosa bebê e na máquina.)

  • DUPLA PELAGEM

    Alguns cães possuem dupla pelagem, como o Husky Siberiano, Collie e SpitzAlemão. Por incrível que pareça, esses pets ficam muito bem se não forem tosados. “Os pelos os mantêm quentes no inverno e frescos no verão”, explica Leticia. “A melhor forma de cuidar desses animais é escovar e banhar com frequência”, acrescenta a profissional. Tosas higiênicas e a bebê são bem-vindas.

Texto Lygia Haydée | Fotos Shutterstock | Adapatação web Victoria Bassi

O calor realmente deixa todo mundo mais lento e cansado. Imagine então quando você tem uma capa de pelos por cima de todo o seu corpo. É exatamente isso que acontece com os cachorros. As temperaturas altas deixam o pet mais quieto, fazem ele evitar atividades físicas, comer menos e ficar muito desconfortável. Contudo, como é um procedimento que costuma ser feito no pet shop, a tosa, em momentos de crises financeira, é a primeira coisa a ser cortada na lista de prioridades, mas isso não deveria acontecer!

É possível escolher uma tosa que caiba no seu bolso ou até mesmo tosar seu próprio animal.O tutor Lino Miguel passou por isso com Midnight, sua Poodle de 10 anos. “Em dias quentes, ela só queria saber de ficar deitada no chão da cozinha ou do banheiro e não fazia mais nada”, conta. Preocupado, ele decidiu finalmente levar a mascote para tirar todo o pelo, o que faz desde então. E o comportamento dela mudou completamente, pois mesmo em dias de muito calor se mostra ativa e participa do dia a dia da família. “Sempre que ela volta da tosa quando está no verão, já sei que será uma festa. Parece até que ela está agradecida”, comenta.

QUANDO É ESSENCIAL

Muitas raças atuais de cães são originárias de países de clima temperado, como Poodle, Pastor Alemão,Labrador, Golden Retriever, Akita e Chow Chow. Aliás, alguns outros cães são até mesmo de regiões polares,como o Husky Siberiano. E, hoje, eles vivem espalhados pelo mundo, inclusive em regiões tropicais e de clima bem diferente daquele do país de origem. Por isso, o ideal é que eles não fiquem expostos a altas temperaturas. Contudo, a realidade é que é muito difícil controlar esse tipo de situação. “Porém, a tosa serve para proporcionar conforto térmico, além de controle de pulgas e carrapatos. Ela ainda evita problemas de pele decorrentes do calor e da umidade, como piodermites e as infecções fúngicas”,esclarece Marcelo Quinzani, veterinário do Hospital Veterinário Pet Care.

E não para por aí. Só quem tem cão em casa sabe o quão mal cheiroso ele pode ficar se não tiver uma higiene regular. A tosa é uma das ferramentas importantes para isso, mantendo a saúde do mascote e evitando problemas de saúde tanto do animal como do seu dono. Por isso,dependendo da pelagem, ela deve ser feita com maior ou menor frequência.Outro cuidado deve ser a escovação, pois previne os nós, remove a pelagem morta, ativa a irrigação sanguínea e a circulação e espalha a gordura natural da pele, deixando os pelos mais brilhantes. Ela serve para proporcionar conforto térmico, além de controle de pulgas,carrapatos e problemas de pele

 

OS TIPOS DE TOSA

Essa escolha depende da finalidadeda tosa, da pelagem e da raça. O tipo mais comum é a higiênica, quando os pelos das patas, da barriga, da região anal e genital são aparados. Além disso, em algumas raças essa tosa pode incluir a região do focinho, orelhas e cauda. Existe ainda a tosa bebê, que deixa o animal com pelos de no máximo dois dedos de comprimento, evitando tanto que os fios se embolem como que acumulem resíduos de sujeira.

O temperamento do cachorro, assim como o ambiente em que vive também influenciam muito na definição da hora certa para aparar os pelos. “Cão que se suja muito ou que fica o tempo todo na chuva ou na piscina não deve ter pelos longos”, aconselha o veterinário Marcelo Quinzani. A tosa com máquina é a mais conhecida e está entre as preferidas dos donos de pets, garantindo uma pelagem bem aparada e de visual elegante. Já a tosa com tesoura é indicada para cães com alergia às lâminas da máquina ou que se estressam facilmente como barulho que ela produz. Por fim, a tosa de trimming (que significa apararem português) é direcionada aos cães que participam de shows e exposições.

QUANDO TOSAR?

Mas como saber se está na hora de levar o seu amigão para tosar? “No calor, quando o animal fica muito ofegante, é um indicativo de que será necessária a tosa. Outro motivo é a formação de nós em animais de pelo longo e fino. Já nos casos de problemas de pele, o médico veterinário,fazendo o diagnóstico, pode indicar ou não a tosa”, explica Quinzani.

Revista Meu Pet Ed. 47

Comente!